quarta-feira, 27 de junho de 2012

Educação Ambiental

RESUMO: Educação ambiental faz referência a um contexto pedagógico que visa amplificar a conscientização de estudantes e seus familiares em relação à preservação do planeta em seu imenso contexto. Baseia-se em algumas filosofias utilizadas antigamente, e ainda propostas hoje em dia. A preocupação com a preservação cresce a cada dia, e fazer com que nossas crianças cresçam com essa consciência seja o maior desafio. Deixar seres humanos responsáveis e conscientes é o único caminho para a preservação da nossa própria espécie.

Palavras-chave: Educação; Conscientização; Preservação 

1 INTRODUÇÃO 

A Educação Ambiental, segundo Arlindo Philppi Jr. e Maria Cecilia Focesi Peliconi (2005, p. 03), vai formar e preparar cidadãos para reflexão crítica e para uma ação social corretiva ou transformadora do sistema, de forma a tornar viável o desenvolvimento integral dos seres humanos. 

Assim sendo, a ideia de introduzir a educação ambiental em um contexto pedagógico visa a interdisciplinaridade das matérias, como história, ciências, ciência social, economia, física, entre outras, sendo possível assim, interagir todos os níveis existentes em uma unidade escolar para uma conscientização comum. A abordagem multidisciplinar na educação ambiental permite a identificação das causas sócio-econômicas políticas e culturais de geradores de problemas ambientais. 

A população esta cada vez mais envolvida com as tecnologias e o cenário urbano, perdendo dessa maneira a relação natural que tinha com a terra. 

Dentro deste contexto, é clara a necessidade de mudar o comportamento do homem em relação à natureza. A educação ambiental se propõe atingir todos os cidadãos através de um processo pedagógico permanente, que procura orientar e conscientizar o educando sobre a situação mundial do meio ambiente. 

E no sentido de contribuir para uma base teórica em Educação Ambiental, traçamos aqui alguns princípios com base nas teorias de Jean Piaget e Vygotsky. 

Para Vygotsky, o desenvolvimento se da com base nas relações sociais. O autor define três estágios bem definidos nesse processo de aprendizado. Primeiro aprende a reconhecer os objetos e suas formas, depois em uma fase linguística, associa e define palavras aos objetos. No terceiro estágio, define conceitos, finalidades e funcionalidades aos objetos e tudo o que o cerca. 

Piaget não acredita que o conhecimento seja inerente ao próprio sujeito, nem que o conhecimento provenha totalmente das observações do meio que o cerca. 

O referido estudo visa demonstrar as filosofias aplicadas a educação, como são abordadas e qual referência faz à área ambiental. As filosofias tecnocrática, progressista e holística serão citadas neste trabalho. 

2 FILOSOFIAS APLICADAS A EDUCAÇÃO 

As filosofias aplicadas à educação têm suas bases fundamentais nos conceitos de abordagem. A abordagem suplementar é utilizada por professores com pouca experiência em educação ambiental, ou professores de outras disciplinas que trabalhem com educação ambiental interdisciplinar. A abordagem de infusão visa integrar disciplinas voltadas ao meio ambiente com disciplinas especificas. Já a abordagem de experiência intensiva cria programas de educação ambiental residencial, em que o estudante realiza as experiências ambientais em sua residência acompanhado de seus familiares para integrar a família ao contexto ambiental. 

Através dessas bases de fundamentação, as teorias têm em seus rumos propostas para diferenciar as filosofias da educação. 

2.1 FILOSOFIA TECNOCRÁTICA 

Visa compreender a economia dentro do contexto da educação. Tem como base formar estudantes capacitados para lidar com questões econômicas. 

Em um aspecto geral não condiciona o estudante a lidar com preocupações da saúde do planeta, apenas aceita que existe uma crise ambiental, porém não trabalha com a realidade de encontrar objetivos para minimizar esta crise. 

Preocupa-se indiscriminadamente com o avanço tecnológico e capitalista, não se importando com os impactos ambientais que possam vir destes atos. 

2.2 FILOSOFIA PROGRESSISTA 

É uma filosofia baseada na integração com a aprendizagem, favorável a realização de experimentos pelos estudantes. Acredita que todos os fenômenos podem ser explicados e entendidos através de métodos científicos. 

Proporciona uma integração entre as matérias, o que pode algumas vezes resultar em divergências. 

2.3 FILOSOFIA HOLISTICA 

A percepção desta filosofia é espiritualidade e educação. Sua forma primitiva trabalha com conceitos ecológicos do mundo. Procura um significado e finalidade nos mundos físicos e cultural que circundam as crianças. 

Procura intensificar o método da interdisciplinaridade na busca da junção lúdica com métodos científicos que certifiquem suas conclusões. 

Na reforma educacional, acredita-se que a filosofia holística é a que mais tem a crescer, e a que melhor irá lidar com os problemas ambientais efetivamente. 

3 REALIDADE DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL 

Com base nas teorias filosóficas da educação, conseguimos captar algumas idéias em nível de educação ambiental, porém sem muita objetividade. 

De um modo geral, as escolas optam por trabalhos extraclasse para interagir com a realidade vivenciada nos dias de hoje. Trabalhos de pesquisa ou de extensão escolar (residencial) são propostos pelas secretarias de educação como uma possibilidade viável de integrar um conteúdo necessariamente importante na formação do estudante. 

Em alguns municípios, como São José (SC), criam projetos de educação ecológica. Trabalho feito juntamente com a Fundação Municipal do Meio Ambiente. Projetos como estes tem por objetivo fazer com que as crianças vivenciem de forma mais prática ações de conscientização ecológica. 

Trabalhos deste porte são cada vez mais importantes em um mundo onde cada vez mais se dá lugar a “montes” de concreto em nome do progresso e priva-se as crianças do contato com elementos naturais, como água, terra e plantas. 

4 CONCLUSÃO 

Olhando para todas as ações que estão sendo realizadas falando-se de educação ambiental, podemos sentir certo conforto moral, afinal de contas, alguma coisa está sendo feita. Entretanto não podemos nos deixar enganar, ainda é muito pouco. Precisamos de ações maiores por parte dos governos e comprometimento integral dos empresários. Não basta educar as crianças sem que os adultos também colaborem. 

“Pensamos em deixar um planeta melhor para nossos filhos, e esquecemos-nos de deixar filhos melhores para nosso planeta. Podemos ainda completar com: “ para que sejam seres humanos melhores do que somos hoje”. 

Anna Elisa Amaro do Nascimento 
Camila da Silva Ferraz 
Evaristo Claudino Ribeiro 
Junior Antunes Balbino 
Ketlei Kirchner 
Profª. Liliam Cristiane Beal 
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI 
Biomedicina – Analise Ambiental 
09/03/2010 

REFERÊNCIAS 
CASTRO, Ronaldo Souza de; SPAZZIANI, Maria de Lurdes. VYGOTSKY E PIAGET: CONTRIBUIÇÕES PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Tendências da Educação Ambiental Brasileira, Santa Cruz do Sul, 1ª ed. 1998. 
INFO ESCOLA. Conferência de Estocolmo. Disponível em: 
WIKIPEDIA. Epistemologia Genética. Disponível em: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário